Dia das crianças

12 out

Se engana quem diz que já foi criança um dia… eu ainda me considero uma grande criança. Muitas vezes, me pego lembrando da infância como se fosse ontem. Não lembro, de forma alguma, de ter visto o tempo passar, de ter sentido o crescimento e amadurecimento, de ter envelhecido um dia.

Bom é assim, quando somos capazes de manter a nossa criança por toda a vida. De sabermos equilibrar as responsabilidades da vida adulta com a doçura e inocência infantil. Sermos livres e sinceros, leves e felizes como se hoje fosse ontem e o amanhã demore a chegar.

Celebrar o dia das crianças e valorizar cada uma delas é o maior investimento no futuro, não só do nosso país, como do mundo. Acreditar na capacidade de nossos pequenos e incentivar a formação de cada um deles vai, com certeza, melhorar de muitas formas, a qualidade de vida no Brasil.

Quero desejar um feliz dia das crianças para todos os pequenos e para os grandes também.

Bjs

Nanda

Anúncios

Música para os ouvidos

11 out

Sou uma pessoa movida a música. Desde a hora que acordo até o momento de ir para a cama a música embala a minha rotina diária. Seja de qualquer estilo musical, está valendo!

Acho que tem momento para tudo… As músicas clássicas relaxam e nos dão a paz e serenidade necessária para tomar as decisões certas. As baladas nos enchem de alegrias e transformam o nosso sorriso. Os funks fazem graça com suas letras irreverentes. Até o brega tem o seu valor.

Para mim, o mais importante de uma música é a sua letra e a mensagem que ela passa para você. Quais lembranças te passam pela cabeça, que viagem ela nos faz fazer. Geralmente, as músicas nos lembram pessoas, momentos e lugares e algumas nos marcam por toda a vida.

Gosto de cantar, mesmo desafinada. O chuveiro é a minha especialidade, ainda mais se estiver feliz ou sensível. Os vizinhos que me perdoem mas, viva a música!

Bjs

Nanda

Valor do dinheiro

10 out

Dizem que tudo aquilo que vem fácil não é valorizado. E, quando o assunto é dinheiro, essa afirmação fica mais que verdadeira.

Quando eu saí da escola e entrei na faculdade comecei a correr atrás para ganhar o meu próprio dinheiro. Dava aulas de matemática e inglês, tomava conta de provas, vendia roupas. Me virava nos trinta e corria atrás de começar a preparar o meu futuro.

Cada centavo ganho era uma vitória, saboreava com o prazer de quem tinha ganhado um prêmio. Pensava duas vezes antes de gastar aquele dinheiro suado. Abrir o bolso tinha que ser por um motivo justo. Gastar com bobagens não fazia parte dos meus planos.

Os jovens de hoje estão acostumados a terem tudo o que desejam e pouco se importam com a necessidade de ganhar dinheiro. Dão pouco ou nenhum valor às coisas que possuem. Que tipo de adultos eles vão se tornar?

Bjs

Nanda

Empurrando com a barriga

9 out

Sou uma ariana típica, com todas as suas características, desde aquelas explosivas, que fazem e dizem o que pensam, além de não pensarem nas consequências das ações.

Também sou apressadinha, cheia de planos, planilhas de prazos, custos e desempenhos, cheias de sonhos. Completamente impaciente para esperar por coisas ou por pessoas indecisas.

Fazer, acontecer e resolver sempre foram os verbos mais conjugados na minha vida, principalmente, da vida profissional que construí.

Então, me descubro com a sensação de empurrar as decisões com a barriga, fugindo de respostas, fugindo de acertos, fugindo de mim mesma e de quem sempre fui. Preciso parar de empurrar com a barriga as coisas que preciso fazer, retomar a minha personalidade ariana e voltar a comandar a minha própria vida.

Me aguardem…

Bjs

Nanda

O que é solidão?

6 out

Lindo texto! Grande Chico Xavier!!!

O que é Solidão ?

“Solidão não é a falta de gente para, conversar, passear, namorar ou fazer sexo……isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar… isto é saudades.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe às vezes para realinhar os pensamentos……isto é equilíbrio.

Tampouco é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente, para que revejamos a nossa vida… isto é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado … isto é circunstância.

Solidão é muito mais que isto…

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.” (Francisco Cândido Xavier)

Bjs

Nanda

Guardando os sentimentos

5 out

Os sentimentos de uma pessoa são os maiores tesouros que elas, ou melhor, nós podemos ter. De nada adianta tê-los e senti-los sem que possamos vivê-los e dividi-los com as outras pessoas.

Quando crianças sabemos lidar com nossos sentimentos da forma mais pura e sincera. Externamos, choramos e gritamos ao menor sinal de fome, dor ou medo. Os nossos pais se encarregam de nos ensinar a conter esses impulsos para que sejamos capazes de viver em sociedade.

Ainda na adolescência, começamos a conhecer sentimentos mais profundos e que mexem diretamente com os nossos corações. Descobrimos paixões, amores e desilusões que marcam nossas vidas e nos preparam para que sejamos adultos mais maduros e seguros. Já nessa fase, os corações partidos e a dor pelas paixões não vividas ou mal resolvidas nos mostram que nem tudo pode ser da forma que desejarmos.

Na fase adulta, encontramos amores que achamos que serão eternos, temos muitos desamores e decepções e, também, conhecemos um novo tipo de amor, aquele que é incondicional pelos nossos filhos. Esse último nos leva até a esquecer qualquer dificuldade nos amores de um casal.

Mas, e quando chega à terceira idade? O que acontece com os corações já vividos e cheios de experiência porém, sem tanto tempo para esperanças futuras? Dizem que o amor não tem idade e, eu mesma, já vi alguns casais se reencontrarem após os 80 anos de idade. E voltaram a viver amores felizes tanto quanto eram quando adolescentes.

É claro que não precisamos deixar para depois o que podemos viver agora. Quanto antes o amor entrar nos nossos corações mais felicidade e gosto pela vida teremos!

Viva o amor!

Bjs

Nanda

Aniversário de namoro

4 out

A maioria dos casais tem o costume de comemorar mensalmente o tempo que estão juntos. Esse gesto é a mais pura demonstração de carinho e do amor existente entre as duas pessoas.

Uns comemoram com bilhetinhos e cartões, outros gostam de dar presentes junto aos beijos e abraços, alguns saem para jantar e criam climas românticos com luz de velas. Há os que presenteiam com flores ou chocolates, os músicos preferem escrever canções para as amadas, os poetas eternizam o amor nos versos dos seus poema e, também, os que preferem não comemorar.

Não podemos esquecer que os esquecidos também amam apesar de não lembrarem do dia do início do amor. E, também, aqueles que contam os dias e minutos para comemorar já com um beijo carinhoso pela manhã.

Cada um do seu jeito, com suas histórias e preferências, comemorando juntos e valorizando o futuro da relação.

Bjs

Nanda

%d blogueiros gostam disto: